Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia

Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia

2059-26-11-2020

26.11.2020 14:26:00

Nota à imprensa do Ministro Serguei Lavrov após reunião com o Presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, Minsk, 26 de novembro de 2020

    Acabamos de terminar a conversa com o Presidente da República da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, na qual ele confirmou a lealdade aos acordos alcançados pelos nossos países ao nível mais alto. Antes de tudo, tenho em vista um apego à política de reforço total das relações de aliados, das relações estratégicas em todas as áreas.

    Falámos também da cooperação na política externa, do cumprimento do Programa de Ações Coordenadas na área da política externa da União Estatal para 2020-2021. É adotado regularmente, sendo aprovado pelos chefes de Estado. Hoje, vamos participar na sessão conjunta dos colégios dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia e da República da Bielorrússia. Trata-se da componente importantíssima do trabalho conjunto de diplomatas, a par da anual de visitas dos Ministros dos Negócios Estrangeiros. Vale notar que semelhante estrutura existe virtualmente em cada área da cooperação interestatal. Também terá lugar uma sessão conjunta de colégios dos Ministérios da Cultura, o que é essencial para a promoção de contatos entre as pessoas, os intercâmbios humanitários. Apoiamos isso ativamente.

    Discutimos a atividade da OTSC. Dentro de uns dias, terá lugar a sessão do Conselho dos Ministros dos Negócios Estrangeiros, seguida por uma sessão de chefes de Estados membros do Conselho da Segurança Coletiva. A Rússia está a presidir a OTSC. Esta cimeira vem coroar a presidência. A República da Bielorrússia está a encabeçar a UEE. Temos em alto apreço iniciativas e ações empreendidas por Minsk nesta qualidade no intuito de promover a nossa integração multilateral. A próxima etapa será a presidência da Bielorrússia na CEI. Trocámos opiniões sobre as prioridades que serão promovidas pelos nossos amigos. Apoiamo-los e acreditamos que isso tudo venha favorecer a cooperação no seio da CEI.

    Falámos das relações entre nós e o Ocidente, a NATO, a UE, os EUA. Francamente, estamos a observar uma atitude hostil à Rússia e à República da Bielorrússia. Registamos tentativas de influenciar ativamente os processos internos. Os líderes ocidentais nem ocultam isso. Adotam-se documentos sobre a “promoção” da democracia: um deles se refere à Rússia. O Congresso dos EUA acaba de receber para aprovação um documento semelhante, relativo à República da Bielorrússia. Percebemos isso com tranquilidade. Fazemos parte da União Estatal. Temos os meios para se proteger, para defender a nossa independência. É a postura comum dos nossos Presidentes e governos.