Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia

Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia

508-22-03-2020

22.03.2020 19:30:00

Entrevista do Ministro Serguei Lavrov ao canal Novy Vek, Moscovo, 22 de março de 2020

    Pergunta: Senhor Ministro, como avalia a eficiência da interação da República do Tartaristão com o mundo exterior?

    Serguei Lavrov: Acho que a República do Tartaristão é uma das unidades administrativas mais ativas da Federação no sentido de participação nas relações exteriores, bem como nas relações económicas externas. Temos mantido uma cooperação muito estreita. A República está a promover ativamente a sua presença no exterior. Se não me engano, a República do Tartaristão possui representações em 15 países, que trabalham em contato estreito sob a tutela das Embaixadas da Federação da Rússia. A República tem uma vasta gama de relações, principalmente com os parceiros da Comunidade de Estados Independentes (CEI): Bielorrússia, Cazaquistão, Uzbequistão, Turcomenistão – praticamente com todas as antigas repúblicas da União Soviética que integram a CEI; possui contatos com empresas dos EUA, Europa, de outras regiões.

    Nos últimos anos, a República ganhou três vezes o primeiro prémio na criação de condições favoráveis para investimentos estrangeiros. No ano passado, ocupou o segundo lugar, mas tinha permanecido na liderança por três anos seguidos, e estou certo de que o Tartaristão ainda vai revelar as suas ambições de líder. É uma das repúblicas mais ativas, uma das unidades da Federação mais avançadas que atua com jeito e sabe trabalhar nos mercados externos, criando condições propícias para captar mais investimentos na República.

    Pergunta: A Rússia tem 85 regiões. Na opinião do senhor, quão importante é o papel das regiões russas no palco mundial?

    Serguei Lavrov: Dizia-se outrora que a Rússia iria crescer devido à Sibéria. Agora, a Rússia vai ganhando vulto nas vertentes política e económica graças ao desempenho das suas regiões, repúblicas e distritos autónomos. Os êxitos nas relações com a China, 70-80% do comércio e investimentos são relações estimuladas pelas unidades administrativas da Federação da Rússia e províncias da República Popular da China. Quando o Tartaristão e outras regiões da FR promovem os seus produtos no estrangeiro, quando usam altas tecnologias para os investimentos dentro da Rússia, quando realizam ações humanitárias (o Tartaristão costuma acompanhar as suas iniciativas económicas no estrangeiro com reuniões de índole humanitária), tudo isso ajuda a reforçar, primeiro, o potencial económico do país, e segundo, a sua imagem positiva nos círculos sociais do mundo. Assim, é difícil sobrestimar este trabalho.