11:40

Excertos da entrevista do Ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia, Serguei Lavrov, ao programa “Vesti v Subbotu” (Notícias de Sábado) apresentado por Serguei Briliov do canal “Rossia 1”, 30 de novembro de 2019, Moscou

2485-30-11-2019

Sergey Lavrov: Sim, realmente, uma série de países – Grã-Bretanha, Noruega, Chile, Austrália, Nova Zelândia – disputaram no século passado uma parte do continente e as águas adjacentes ao Oceano Meridional, ou seja, algumas zonas. 

Sergey Briliov: E foram desenhados no mapa como triângulos. 

Sergey Lavrov: Sim, como triângulos. Naqueles tempos, a União Soviética e os Estados Unidos se manifestaram categoricamente contra quaisquer pretensões e o desejo de dividir a Antárctica em “setores”, declarando-se pela manutenção da Antárctica como patrimônio comum da Humanidade. 

Sergey Briliov: Por isso, a posição da Rússia e dos EUA em relação à Antártida é um dos exemplos da plena unanimidade entre Moscou e Washington. 

Sergey Lavrov: Sim, e não apenas nesta questão. Depois do descobrimento, a Antártida parecia um “pedaço apetecível”. Todos estavam interessados em reservar para si algum território no novo continente. Mas em resultado disso, se deram sérios conflitos internacionais. 

Sergey Briliov: Com disparos. 

Sergey Lavrov: Sim, com disparos, digamos assim. Mas no fim, tudo foi resolvido pacificamente. Considero que esta experiência deve ser utilizada também em conflitos contemporâneos. 

Sergey Briliov: Há garantias de que o Tratado da Antártida continue a funcionar sem provocar um conflito armado? 

Sergey Lavrov: Na minha opinião, ninguém está interessado em que oTratado seja posto em causa.Até já, não temos observado quaisquer sinais de que ele corra perigo de passar por sérias provas. 


O texto completo da entrevista será publicado mais tarde.

Corretamente as datas especiais
Ferramentas adicionais de pesquisa